Memórias que aprisionam

Posted by in Artigos

Memórias que aprisionam

“Quero trazer a memória aquilo que me traz esperança”

Que tipo de memórias são essas? São memórias que nos remetem a algo que nos machucou e ainda estamos presos, nos impedem de prosseguir de forma livre, as vezes nos impede de nos relacionar de forma plena com outras pessoas. Vive-se sempre com o medo de ser machucado novamente.

O perdão é o melhor remédio para nos curar de memórias que nos aprisionam.

TEM SITUAÇÕES NA VIDA QUE NÃO TEM REMÉDIO, O ÚNICO REMÉDIO É O PERDÃO.

Para situações que não existe possibilidade de ser vivida novamente a única coisa a se fazer é perdoar.

Tenho o costume de dizer que a pessoa mais afetada pela falta de perdão não é quem ofendeu, mas o ofendido. É o ofendido que carrega a mágoa, a dor, o ressentimento e todos os sentimentos negativos que surgem no coração devido a uma ofensa ou uma expectativa frustrada.

Um dos grandes problemas gerados no coração por falta de perdão é oriundo de uma grande expectativa gerada. Quando se gera uma grande expectativa com relação a algo ou a alguém,  e essa expectaiva é frustrada, isso gera feridas quase irremediáveis.

Porque irremediáveis? Por que a pessoa que gerou a ferida fez sem intenção e não tem o remédio necessário para cuidar sa ferida gerada no outro sem intenção.

A única solução para essa questão é a liberação de perdão para a pessoa que ofendeu ou não atendeu as suas expectativas. Não há outra saída.

Enquanto não houver a liberação de perdão o ofendido vai viver carregando mágoas, dores e ressentimentos e nunca será livre de verdade.

O perdão é libertador, é largar as cargas no caminho e partir para uma caminhada mais leve.

Para você que tem passado por esse problema deixo um versículo para sua meditação.

“Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.” Lamentações 3:23

Creia que você pode ser livre hoje para viver um amanhã mais feliz. Perdoe!

Atenciosamente,

Pr. Leandro Costa

Nos encontre nas mídias sociais