Passeando Pela Bíblia 114 – Já Estou Crucificado

Posted by in Artigos

JÁ ESTOU CRUCIFICADO

“15 Nós somos judeus por natureza, e não pecadores dentre os gentios.
16 Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.
17 Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma.
18 Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor.
19 Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus.
20 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.
21 Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde.” Gálatas 2:15-21

Introdução

 

Para compreender o texto acima, antes precisamos entender quem era o apóstolo Paulo. Paulo era um fariseu perseguidor da igreja. Estava presente na morte de Estevão, e ia pelo caminho de Damasco perseguir os cristãos que tinham fugido de Jerusalém.

Damasco é uma cidade Síria e ele partia para fora das fronteiras de Israel, mas dentro das fronteiras do Império Romano, para perseguir os cristãos. Paulo não é israelita, ele nasce na Turquia em Tarso. Mas se torna fariseu perseguidor dos cristãos. Ele é discipulado por Gamaliel, um dos maiores professores e filósofos da sua época. Gamaliel era judeu e por isso Paulo se torna judeu. Os arquivos de Israel vão relatar que Gamaliel era um dos maiores professores do judaísmo.

Então já sabemos que Paulo era um judeu legalista ferrenho, pois foi discipulado desde criança para amar a lei pelo maior professor do judaísmo da sua época. Em sua formação a lei sempre foi o ponto principal e por causa desses valores perseguia a todos que difamavam essa lei.

Nas discussões em sinagogas sobre a lei, Paulo mesmo jovem, tinha lugar de destaque durante esses debates. Paulo era proeminente na sua sociedade, um homem importante, conhecedor das leis, discipulo de Gamaliel.

3E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.” Atos 8:3

1 – Contextualizando os Galátas

 

Depois de entender quem foi Paulo, agora podemos compreender o que ele escreve aos Gálatas.

O primeiro ponto é que Paulo está escrevendo para uma igreja que está sofrendo com as práticas da lei. Onde os judaizantes, grupo de judeus convertidos a Cristo, mas que desejavam manter os ritos e festas judaicas e importunavam a todos que se convertiam em seguir essas práticas. Paulo escreve para combater essas práticas na igreja da Galácia.

 

2 – Destrinchando o texto

 

18   Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor.” Gálatas 2:18

Paulo desde jovem aprende a amar a lei, e quando ele escreve: “se torno a edificar aquilo que destruí” se remete diretamente a quem ele era, o que ele fazia de errado e que ele não poderia permitir que o pecado entrasse dentro da igreja na forma de religião ou legalidade. Ir contra a lei para Paulo era ir contra ele mesmo. Ele relata que destruiu a lei dentro dele e que não pode permitir que a lei se reestabeleça na igreja. Que ele não poderia ensinar para a igreja quem ele era e o que aprendeu desde que nasceu, mas que deveria ensinar a verdadeira doutrina, negando-se a si mesmo.

Paulo demonstra uma conversão genuína passando de perseguidor a perseguido. Demonstra uma virada de 180o na sua vida. Ele encarcerava os cristãos e agora se coloca na posição de ser encarcerado por amor de Cristo. Ele era torturador e se coloca à disposição para ser torturado.

Paulo não tenta dar um jeitinho para continuar vivendo o pecado que grita com força dentro dele. Ele não tenta arrumar uma forma para que a lei entrasse dentro do culto ao Senhor Jesus, ele não tenta promover o seu pecado com ar de santificação.

 

19 Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus.

Paulo quando diz que para a lei ele está morto é muito interessante, pois ele viveu a lei intensamente durante vários anos. Viveu a lei até encontrar Jesus no caminho para Damasco. Esse homem respirava a lei, foi ensinado pelo melhor professor de judaísmo desde jovem. Esse homem vivia a lei em uma intensidade profunda. Quando ele diz que morreu para lei, ele está dizendo que morreu literalmente para o mundo. Ele chega a dizer que tudo que ele aprendeu antes de Cristo ele considera como esterco.

8Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo” Filipenses 3:8

Ele não considera a lei do AT como esterco, mas como essa lei foi ensinada a ele. Forma que acabou tornando Paulo um caçador de cristãos.

Ele relata de fato que morreu para o que ele era para passar a ter uma vida nova em Cristo. Isso se torna de caráter muito profundo, pois Paulo tem que negar tudo que ele era para ser uma pessoa nova, na verdade para aprender tudo novamente. Paulo deixa de ser discipulado por Gamaliel, um mestre por excelência, para ser discipulado pelos apóstolos e cristãos do seu tempo que em sua maioria eram homens simples, do povão. E mesmo assim ele considera que tudo que ele aprendeu com o melhor professor como esterco e o que ele aprende com homens simples, uma nova vida em Cristo, como coisa de grande valor.

 

20 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Gálatas 2:20

Que frase fantástica de Paulo: “Já estou crucificado…”. Quando Paulo olha para a cruz ele entende que a lei está sendo cumprida e que o cordeiro prometido em Isaías 53 estava ali sendo dado por ele e por toda a humanidade. A partir desse entendimento ele compreende que ele não pode ter mais espaço após a sua conversão, pois ele foi ensinado a ser um legalista, fariseu e perseguidor dos cristãos. Ele compreende que Cristo deve viver através dele para que ele possa ter uma vida nova, totalmente inversa do que ele vivia, entende que somente Cristo pode promover essa vida nova, uma vida que não se baseia em escritos, mas na fé no Filho de Deus que demonstrou um amor imenso se entregando por ele na cruz do calvário.

Quando Paulo diz que está crucificado, ele se remete a legalidade e o farisaísmo que eram notáveis em sua vida, mas agora esse pecado estava sendo levado por Cristo no Cruz do Calvário.

 

Atenciosamente,

Pr. Leandro Costa